São Paulo terá serviço de scooters compartilhadas

(Foto: Tamires Nunes)

Em outubro, a Riba Share lança um serviço de compartilhamento de scooters elétricas na capital paulista, para facilitar e agilizar a locomoção de usuários em pequenos trajetos.

“A ideia é fazer a última milha. Então, o usuário se desloca dentro da cidade por meio do transporte público ou no veículo próprio e depois, durante o dia, naqueles pequenos trajetos ele utiliza a scooter”, explica Rui de Almeida, diretor de operações da Riba.

As motos, que trafegam no máximo a 50 km por hora e tem autonomia de 70 km, serão acionadas automaticamente através de um aplicativo.

A moto tem um “sensor que identifica se o capacete está presente ou não e apenas esse sensor vai liberar o veículo. A partir do momento que o sensor identifica a ausência do capacete, o motociclista poderá usar”, explica Rui.

Com um investimento de R$3 milhões, a empresa disponibilizará 50 scooters nas regiões do Itaim e de Pinheiros, um raio de 10 km. Até o fim do ano serão 300 veículos operando na cidade.

O serviço custará R$0,59 por minuto rodado e a empresa recomenda que os veículos sejam usados por no máximo 30 minutos para ter “um fluxo maior de utilização”.

As scooters da Riba se une a outros serviços de compartilhamento de duas rodas que estão tomando a cidade. Estima-se que cerca de 23 mil veículos de duas rodas compartilhados estarão disponíveis em São Paulo até dezembro.

A expectativa da Riba é expandir o serviço para Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Florianópolis e Brasília.