Uso de tecnologia contribui para produções mais sustentáveis e eficientes

(Foto: Pixabay)

A pecuária de precisão pode auxiliar no desenvolvimento de sistemas com indicadores produtivos, comportamentais e fisiológicos de animais de produção sustentáveis e de uma pecuária mais competitiva.

A conclusão é do estudo “Potencial de uso das tecnologias de agricultura e pecuária de precisão e automação” elaborado pela Embrapa Pecuária Sudeste, em São Carlos (SP). O relatório apresenta o potencial de conceitos, ferramentas e usos para inserir a agropecuária em um novo patamar. 

Atualmente, a tecnologia disponível pode ser usada para identificação animal automatizada, dispositivos eletrônicos de pesagens, colares com sensores, bebedouros e cochos automáticos, termografia infravermelha e estações meteorológicas automáticas, entre outros fins.

De acordo com o pesquisador e um dos autores do estudo, Alberto Bernardi, a pecuária de precisão permite aumentar a eficiência do uso de insumos, reduzir as perdas, elevar a qualidade dos produtos agropecuários, diminuir esforços e otimizar o trabalho, refletindo em melhores condições de vida no campo. 

Os benefícios ambientais também atingem o meio ambiente, com mitigação de gases de efeito estufa, principalmente pela utilização eficiente dos insumos agropecuários e redução do consumo de água e energia elétrica para irrigação.

A pecuária de precisão não é a solução de todos os problemas no campo. “O seu uso será mais eficiente, quanto mais eficiente for o sistema em que está sendo empregado. E um bom modelo agropecuário é aquele em que as boas práticas estão sendo utilizadas, e todos os conhecimentos agronômicos e zootécnicos aplicados da forma mais acertada”, ressalta.

Para os pesquisadores, a gestão da propriedade com coleta e interpretação dos dados e informações é mais importante do que a o uso de máquinas caras e sofisticadas. Se o produtor e o técnico fazem a gestão da fazenda e dos animais, já utilizam a pecuária de precisão.