Produtos orgânicos aumentam a renda do varejo

(Foto: Pixabay)

Com o aumento da demanda por produtos orgânicos, naturais e saudáveis, vários locais estão se adaptando a esta tendência e é o varejo que está levando a melhor.

Estudo realizado pelo Conselho Brasileiro de Produção Orgânica e Sustentável (Organis), em parceria com o instituto de pesquisa Market Analisys, constatou que o varejo convencional corresponde a 64% da venda de produtos orgânicos no Brasil.

Embora exista o predomínio do supermercado como meio de compra, outros âmbitos mostram potencial. As feiras correspondem a 26% das vendas e atingem maior presença de comercialização no Nordeste e no Centro-Oeste.

Em seguida, aparecem as lojas de produtos naturais com 4%, e as compras diretas com produtores (3%). Os clubes de compras são vistos como uma promessa e uma oportunidade de negócio para o setor.

Realizada com 905 pessoasem nove capitais brasileiras, a pesquisa é a primeira que analisao consumo de orgânicos no Brasil e o perfil dos consumidores, para suprir a falta de dados oficiais no setor.

Segundo o diretor do Organis, Ming Liu, a pesquisa ajudará as empresas a criarem estratégias comerciais para ampliar as vendas. “Precisávamos ter o perfil por região, com consumo, costumes e percepção do consumidor de orgânicos. Essa pesquisa ajudará nas estratégias comerciais dos produtores, empresas e varejistas. Se há cerca de 600 feiras orgânicas mapeadas no Brasil e a cada ano o crescimento do setor chega em 20%, temos um potencial de aumento do consumo”.

Para ler o estudo “Consumo de produtos orgânicos no Brasil” na íntegra, acesse: http://organicsbrasil.org/organis/