Sustentabilidade reduz impacto em sistema de produção agropecuária

(Foto Divulgação)

Estudos realizados pelo Instituto de Zootecnia (IZ/Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, revelaram que o Sistema Integrado de Produção Agropecuária (SIPA) é uma alternativa importante para a sustentabilidade da produção.

De acordo com a pesquisa, o SIPA possui diversas possibilidades, como a Integração entre Lavoura e Pecuária, que combina em uma mesma área a produção de grãos, carne ou leite.

A pesquisadora do IZ Flavia Fernanda Simili, coordenadora do projeto de pesquisa, explica que umas das vantagens desses sistemas integrados é a sinergia entre os componentes, resultando em melhorias ambientais, econômicas e produtivas. Nesses sistemas, os resíduos das culturas de grãos [palhada], os resíduos dos animais [fezes e urina] e os resíduos da pastagem [liteira depositada] fornecem nutrientes ao sistema a curto, médio e longo prazo e são considerados agentes reciclantes.

Com a técnica é possível calcular o balanço de nutrientes (BN) dos sistemas agropecuários com objetivo de apurar se está sobrando nutrientes (BN positivo) ou se está faltando nutrientes (BN negativo).

“A sobra de nutrientes pode significar risco de danos ambientais por contaminação do ambiente, além de indicar que pode ser utilizado menos adubo. A falta de nutrientes [BN negativo] significa que extraiu mais nutrientes do solo, podendo também prejudicar o ambiente, além de indicar que há necessidade de se utilizar mais adubo”, explica Simili.

“Para chegar a esse balanço nutricional, são necessárias as informações das quantidades de adubos utilizados e dos nutrientes fornecidos via agentes reciclantes, que serão considerados Input [entrada] e que será subtraído dos Output [saída], que são os nutrientes necessários para a produção de grãos, carne e leite”, complementou.

As pesquisas nos sistemas, até o momento, comprovaram que o balanço de nutrientes foi positivo para a Pecuária aos três nutrientes [nitrogênio, fósforo e potássio], considerando apenas os adubos de plantio e cobertura.

Já para a Agricultura e SIPA’s o balanço de nutrientes foi negativo para nitrogênio e potássio, pois para garantir altas produções de milho grão são necessárias altas quantidades desses dois nutrientes.

Ao contabilizar a entrada de nutrientes via agentes reciclantes, segundo Simili, o BN tornou-se positivo para nitrogênio e fósforo para todos os sistemas, porém para o potássio, ainda houve déficit para a Agricultura.

“Diante desses resultados, constatamos a contribuição dos nutrientes via animais em pastejo e liteira depositada, durante o processo de senilidade da pastagem, tornando-se excelentes fontes de nutrientes para os sistemas, contribuindo para racionalização do uso de fertilizantes de fontes não renováveis”, ressalta Simili.

Diante da importância e da complexidade do assunto, a pesquisadora destaca que ainda são necessários mais estudos e conhecimento em relação aos agentes reciclantes nos sistemas integrados.