Amazonas inicia inclusão de orgânicos na merenda escolar

(Foto: Freepik)

Pela primeira vez, o governo do Amazonas determinou piso mínimo de 1% para a aquisição de produtos orgânicos no Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), o equivalente a R$400 mil. Esse valor deverá ser ampliado conforme a adesão dos produtores rurais, associações, cooperativas e agroindústrias interessadas em fornecer alimentos para as escolas estaduais da rede pública de ensino.

Segundo o presidente da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Flávio Antony Filho, serão destinados R$ 40 milhões para a execução do Preme, que prevê a compra de frutas regionais e polpas in natura, fornecidas pela agricultura familiar.

O novo edital contempla o fornecimento de 57 produtos regionais para a merenda escolar. Foram inseridos quatro novos itens: castanha, goma de tapioca, pupunha e tucumã in natura

O edital de credenciamento dos produtores está aberto até o dia 20 de janeiro e pode ser consultado no site www.ads.am.gov.br

Incentivo a produção

Em dezembro, o governo amazonense anunciou a ampliação da Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para aumentar a produção e a produtividade de agricultores de frutas e hortaliças orgânicas, o número de produtores e da diversidade de sistemas, e estimular a transição agroecológica nas comunidades.

O projeto do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) envolve 11 municípios do estado e deve destinar R$1,4 milhão em capacitação e profissionalização de técnicos e produtores até 2022.

** Com informações do Manaus Alerta