Organics Brasil vira marca e abre loja na Rua Oscar Freire

(Foto: Divulgação/ Organis)

O mercado de orgânicos deve crescer 30% em 2016 e faturar R$3,2 bi no mercado interno e fechar o ano com estimados $ 160 milhões de dólares em exportações. Os números são do Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável, o ORGANIS, a entidade que representa o setor orgânico, integrando a cadeia produtiva e organizando uma estratégia de crescimento.

“O mercado de produtos orgânicos continua crescendo seguindo a tendência do consumidor no aumento do consumo de produtos saudáveis. A regulamentação em 2011 contribuiu para este forte crescimento em trazer investidores e novos empreendedores do agronegócio e direcionando para investimentos em produtos industrializados. Os desafios continuam grandes em um mercado altamente competitivo. Nossa missão é fazer a integração entre os setores: primário, secundário, serviços e o consumidor”, explica Ming Liu, diretor executivo.

O desafio do ORGANIS é criar novos programas de educação junto ao consumidor, desenvolver a cadeia e identificar oportunidades de visibilidade institucional.

Ao completar o primeiro ano de atividades, o ORGANIS firmou parceria com a empresa DP Duarte Orgânico e a REUD (Real Estate Urban Development) para lançar um espaço de eventos e um ponto comercial em plena rua Oscar Freire, considerada a vitrine de São Paulo que dita as tendências de consumo. O espaço conta com empório, pracinha para ativação das marcas e nos finais de semana abrigará uma feira e festival de comidas orgânicas – a “Oscar Feira”, que será a vitrine da sazonalidade dos orgânicos e dos produtos de valor agregado das empresas que compõem o ORGANIS, usando a marca Organics Brasil, que é um “branding” construído ao longo de uma década.

“O Projeto Organics Brasil é referência nacional e internacional dos orgânicos do Brasil. Durante dez anos trabalhamos o nome e o conceito institucional, agora vamos passar esta credibilidade para as empresas e ajudar a montar estratégias para criar visibilidade ao setor e consolidar para que o ORGANIS se encarregue de organizar a cadeia do setor e seja o agente institucional”, explica Ming Liu.

Participam da fase inicial do Espaço Organics Brasil as empresas: Mirella (farinha de trigo), Grupo Horta (hortifruti), Native (açúcar e produtos diversos), Itajá (açúcar e geléias), Stevita (Stevia), Bambusa (roupas íntimas), BIO2 (barra e sucos), Cativa (Cosméticos), Organique (energético e chá), Viapax Bio (diverso produtos) e Jasmine (diversos produtos).

Espaço Organics Brasil – Rua Oscar Freire, 974