Setor de orgânicos cresce na Itália

(Foto: Pixabay)

Em 2019, o setor de orgânicos da Itália atingiu quase dois milhões de hectares (há) destinados a agricultura e horticultura, um aumento de 869 hectares em relação a 2010, segundo o último relatório da Ismea-Sinab.

Já são 80 mil produtores que usam o método orgânico. Cerca de 51% dos hectares cultivados estão localizados em quatro regiões. São elas: Sicília (307.662 ha), a Apúlia (266.274 ha), a Calábria (208.292 ha) e a Emilia-Romagna (166.525 ha).

As categorias de frutas pequenas e castanhas tiveram um aumento significativo. As áreas de cultivo de figos e kiwis aumentaram 102 e 652 hectares, respectivamente. A área cultivada com citros cresceu em 3%. A produção de maçãs aumentou 8.235 hectares e de peras, 2.788 ha.

Em relação ao consumo, as vendas cresceram 4,4% em relação ao ano passado, representando um faturamento de € 3,3 bilhões. A participação total das vendas de alimentos orgânicos nos gastos com alimentos italianos é de 4%.

Frutas, vegetais, leite e derivados orgânicos são cada vez mais encontrados em prateleiras especiais de supermercados.

A pandemia acelerou a demanda por produtos orgânicos, impulsionada pela preocupação com a saúde e ao bem-estar e com o fechamento de restaurantes, o que obrigou os consumidores a comerem dentro de casa.