Artigo: Ciência do solo para um planeta faminto

solo-plantar
(Foto: Freepik)

Como a agricultura vai dar conta de alimentar quase 10 bilhões de pessoas em 2050? E como podemos contribuir para aumentar a produção? Cuidando do solo!

No artigo “Ciência do solo para um planeta faminto”, a pesquisadora e mentora universitária de Agricultura da Clinton Global Initiative de 2017, Esther Ngumbi, explica como os micróbios e os investimentos para melhorar a saúde do solo podem fazer a diferença na produção dos alimentos.

“Um dos métodos mais poderosos para aumentar a produtividade de modo sustentável provirá da nossa capacidade de alavancar o que já está no solo”, afirma Ngumbi.

A pesquisadora também apresenta algumas startups que “já trabalham para aproveitar o poder dos micróbios”, como a americana Biome Makers. De acordo com estimativas de mercado, o atual valor de produtos com este propósito é de US$ 2,3 bilhões, que deve subir para US$ 5 bilhões nos próximos quatro anos.

O artigo “Ciência do solo para um planeta faminto” está disponível na íntegra no site do jornal Valor Econômico.