Unidas pela segurança dos alimentos

(Foto: Pixabay)

No dia 12 de julho, o jornal Valor Econômico publicou um artigo escrito pelo Diretor-Geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, e José Graziano da Silva, Diretor-Geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

De acordo com os diretores, os padrões internacionais exercem uma função essencial na indústria alimentícia, garantindo a segurança alimentar, a saúde humana a e a proteção do meio ambiente. Além de serem indispensáveis para que o comércio funcione sem grandes desafios e dificultar a adoção de medidas sanitárias ou fitossanitárias pelos países.

“Sem padrões para alimentos, cada país teria que desenvolver suas próprias regras sem que houvesse parâmetros universalmente aceitos a respeito do que é seguro ou saudável. Definir a base científica e conduzir estudos de risco seria algo oneroso se cada país importador tivesse que agir individualmente. E o consumidor acabaria pagando parte dessa conta”, afirmam os especialistas.

Neste contexto, a OMC e a FAO lançaram um estudo conjunto sobre comércio internacional e padrões para alimentos, em que é apresentado como as suas organizações trabalham juntas para que os alimentos cheguem a mesa dos consumidores.

O artigo “Unidas pela segurança dos alimentos” está disponível na íntegra em: http://www.valor.com.br