Novos mercados tornaram-se uma necessidade

Novas fronteiras para negócios orgânicos

Pioneira no trabalho institucional e comercial do segmento de orgânicos do Brasil, Maria Beatriz Martins Costa – diretora do Portal Planeta Orgânico e do Green Rio – está à frente das tentativas de inserir os orgânicos numa pauta comercial Brasil-Alemanha e fomentar os produtos da Amazônia.

Durante a Green Rio, Maria Beatriz Costa, recebeu secretários de estado, superintendentes de Sebrae estaduais, empresários e produtores rurais. Além de bons relacionamentos comerciais, abrir novos mercados se tornou uma necessidade.

(Foto: Ricardo Muza)
(Foto: Ricardo Muza)

O Brasil orgânico tem potencial para prospectar novos mercados?

O que queremos é agregar o perfil da rodada de negócios, que inicialmente era mais alimentos e bebida, ampliar o leque de produtos e prospectar novos mercados. Estônia, Peru, Colômbia, Dinamarca são mercados novos que estiveram na Green Rio com bons resultados. Estamos pensando em organizar uma missão de mercados nórdicos para ver de que maneira a gente leva a nossa latinidade para eles”, explica Beatriz Costa.

Outra fronteira de negócios é a Amazônia. Na crise é uma saída valorizar o orgânico e o sustentável no mercado mundial?

Não tem a menor dúvida. No dia 19 de agosto, vai estar aqui a chanceler Angela Merkel e ela vai ter uma reunião bilateral Brasil-Alemanha com a presidente Dilma. Estou muito animada porque o adido da agricultura da Alemanha, sr. Martin Niessen, está se desempenhando para que a bioeconomia entre na pauta.