Os desinfetantes digitais irão mudar a forma como fazemos limpeza?

Jack Duckett*

Os consumidores de desinfetante são surpreendidos com a vasta gama de frascos em diferentes formatos, tamanhos e cores presentes nos supermercados e na internet. No entanto, um novo conceito de empresa US Vital Vio talvez possa revolucionar a forma que desinfetamos as nossas superfícies.

Uma nova forma de limpar?

Vital Vio é um sistema desinfetante à base de luz, que utiliza uma luz branca inofensiva por meio de um encaixe. O produto diz matar até 99,9% das bactérias, sem a necessidade de produtos químicos.

Essa luz é projetada para ser deixada permanentemente acesa, fornecendo proteção contínua de bactérias, como a MRSA, E. coli e Salmonella. A luz afirma oferecer 90% de desinfecção depois de apenas uma hora e meia de uso, subindo para 99,9% após 16 horas.

Para aqueles preocupados com a ideia de deixar a luz acesa por um período prolongado de tempo, o fabricante afirma ser produto amigo do meio ambiente, usando LEDs que exigem o mínimo de energia, além de seguir normas de segurança de exposição de luz em animais e humanos.

O sistema Vio Vital elimina a necessidade de produtos químicos de limpeza agressivos, que têm resultados menos garantidos e que também não são seguros para uso contínuo. Nesta fase, o Vital Vio é projetado para uso em hospitais. No entanto, a empresa por trás do produto sugere que Vital Vio é também aplicável em hotéis, academias e banheiros públicos.

Quando se trata de opinião do consumidor sobre a desinfecção de suas casas, os consumidores do Reino Unido não estão apenas preocupados com os germes encontrados em sua casa, mas também pelo impacto que as produtos químicos encontrados em muitos produtos de cuidados domésticos podem ter sobre a sua saúde e da sua família.

Na verdade, de acordo com pesquisa da Mintel, quatro em cada 10 adultos do Reino Unido se preocupam em entrar em contato com vírus (por exemplo, diferentes cepas ou gripe ou norovírus), enquanto quase a mesma proporção mostra preocupação em intoxicação alimentar por meio de bactérias nocivas. No entanto, quase metade dos britânicos se preocupa com o impacto ambiental do uso de muitos produtos de limpeza à base de químicos e 44% se preocupam sobre o impacto que esses produtos químicos têm sobre a sua saúde.

Estas preocupações vão de encontro com a tendência da Mintel Fear Factor, que analisa a forma como recalls de produtos, alergia e aditivos têm feito as pessoas mais cautelosos com os produtos que compram.

Como tal, o Vital Vio encontra-se bem posicionado, já que há uma oportunidade para um sistema de desinfecção sem produtos químicos para ser desenvolvido para situações domésticas. Esses tipos de sistemas podem ser deixado ligados em banheiros e cozinhas durante todo o dia, tanto para maximizar a rotinas de limpeza existente, bem como para substituir a necessidade da utilização de produtos químicos em casa.

Marcas de limpeza que respeitam o ambiente também poderiam criar variantes de produtos destinados a complementar o sistema, com produtos de limpeza projetados mais para remover suavemente marcas e sujeira das superfícies, enquanto que a luz agiria para matar as bactérias. Isso provavelmente atrairia os consumidores que procuram desinfetar suas casas, evitando o uso de produtos químicos agressivos.

O que a nova tecnologia significa para o mercado?

A luz é projetada para uso em hospitais, essa tecnologia apresenta uma oportunidade semelhante para o mercado doméstico. Soluções de desinfetantes à base de luz poderiam acabar com a necessidade de alguns dos mais agressivos produtos químicos encontrados em alguns produtos de limpeza doméstica, o que iria satisfazer o desejo do consumidor para livrar a sua casa de germes, ao mesmo tempo aplacar os temores que cercam com os produtos de limpeza à base de produtos químicos de impacto têm no meio ambiente.

Desenvolvimentos tecnológicos como esse podem, todavia, representar uma ameaça para o mercado tradicional de produtos de limpeza doméstica, com produtos de posicionamento antibacterianos tornando-se irrelevantes.

Olhando para fora do mercado doméstico e de cuidados pessoais, o sistema tem o potencial para ser integrado em transporte público, ajudando assim a manter corrimãos e bancos mais limpos, o que por sua vez poderia ajudar a reduzir a propagação do vírus e infecções.

* Jack Duckett é analista de pesquisa da MINTEL – agência líder mundial em pesquisa de mercado.

Fonte: http://migre.me/rtdeL

 


Artigo- Este artigo reflete a opinião do autor e não do Organics News Brasil. O portal não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízo de qualquer natureza em decorrência dessas informações.