Covid-19 se alastra, restrições sociais aumentam e abastecimento está garantido

foto- divulgação MAPA

 

Foi um sábado de outono (21 de março) de muitas decisões e mais restrições sócio econômicas. 

O fim de semana #ficaemcasa surtiu efeito, mas ainda MUITA gente não se conscientizou que a situação é grave e deve-se sair somente para comprar comida ou remédios.

O mundo não está de férias. Estamos lutando pela sobrevivência e contra um inimigo invisível de consequências visíveis e letal. 

Somos todos responsáveis para barrar o novo coronavírus. 

Os números de infectados aumentou, de mortes também.

Governadores e prefeitos  anunciaram quarentena, restrições de comércio e transporte público.

O Ministério da Agricultura anunciou o Decreto 10.282 que define como serviços públicos e atividades essenciais a vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias, a prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais e a vigilância agropecuária internacional.

Em entrevista à CNN Brasil, a ministra Tereza Cristina disse que não haverá problema de abastecimento no país.

 A Confederação Nacional da Agricultura divulgou boletim com  informações sobre o cenário interno e externo. Ainda sem impactos expressivos no comércio da União Europeia, Estados Unidos e China com o Brasil.

No mercado interno, a demanda por frutas e hortaliças nos supermercados cresceu de 20% a 30% nos primeiros dias de intensificação da pandemia. A comercialização no varejo representa em torno de 53% das movimentações desses produtos. 

O setor de flores foi o mais prejudicado. Segundo a CNA, as flores de vaso, comercializadas principalmente nos supermercados, teve redução de 50% na demanda. No caso das flores de corte, a redução já supera 70% devido à proibição massiva de grandes eventos, redução da circulação e mesmo pela alteração momentânea do padrão de consumo das famílias, que passam a priorizar bens básicos em momentos de crise.

Reconhecimento e solidariedade

O sábado foi de manifestações de apoio aos profissionais dos hospitais – de médicos e enfermeiros aos recepcionistas e auxiliares de limpeza. Às 20h30, salva de palmas em todo o país. Os principais prédios públicos e ícones de turismo foram iluminados de verde em sinal de respeito é gratidão.

Em S.Paulo, às 20h, funcionários dos supermercados foram aplaudidos pelo empenho dos últimos dias.

Gestos de solidariedade se espalham e é só o início do isolamento. Teremos mais duas semanas críticas. Vamos ser disciplinados e resilientes.

#ficaemcasa.