NASA anuncia descoberta de novo sistema planetário

Imagem de divulgação - NASA

A NASA anunciou a descoberta de novos planetas no sistema planetário da estrela TRAPPIST-1, localizada a 40 anos-luz do Sol. Em publicação simultânea de artigo publicado na revista “Nature” nesta quarta-feira (22), o sistema tem sete planetas com um tamanho próximo ao da Terra localizados em uma zona temperada, ou seja, com temperatura entre 0ºC e 100ºC. É um recorde de planetas deste tamanho e nessa zona de temperatura, afirma a agência espacial americana.

 

No comunicado de imprensa, a NASA explica:“O Telescópio Espacial Spitzer da NASA revelou o primeiro sistema conhecido de sete planetas do tamanho da Terra em torno de uma única estrela. Três destes planetas estão firmemente situado na zona habitável, a área em torno da estrela-mãe quando um planeta rochoso é mais provável ter água em estado líquido. A descoberta estabelece um novo recorde para o maior número de planetas habitáveis da zona encontrados em torno de uma única estrela fora do nosso sistema solar. Todos esses sete planetas poderiam ter água líquida – chave para a vida como a conhecemos – nas condições atmosféricas certas, mas as chances são maiores com os três na zona habitável.”

“Existir esse sistema com sete planetas é realmente incrível”, disse Elisa Quintana, astrofísica da Nasa. “É possível imaginas quantas estrelas podem estar próximas e abrigar muitos e muitos planetas”.

De acordo com a Nasa, todos orbitam a uma distância que possibilita a existência de água líquida em algum ponto de sua superfície, o que abre a possibilidade para que o sistema tenha condições de abrigar vida.

Como o tema é complexo, fomos ler as impressões de um dos melhores sites de astronomia- o Mensageiro Sideral. O editor Salvador Nogueira escreveu sobre a descoberta e a possibilidade de habitar o sistema:

“O sistema orbita uma pequena estrela localizada a cerca de 40 anos-luz da Terra, na constelação de Aquário. É na vizinhança do ponto de vista astronômico, mas ainda muito além das nossas tecnologias atuais para uma visita. Uma sonda com nossa tecnologia atual (viajando a 62 mil km/h) levaria cerca de 700 mil anos só para chegar lá. Em um avião de passageiros, o tempo de viagem ficaria mais longo: 44 milhões de anos. Meio fora de mão”.

“É sem dúvida uma época realmente empolgante para a astronomia. Depois de séculos de especulação, estamos finalmente no limiar de descobrir a incrível variedade e riqueza de ambientes — habitáveis e inabitáveis — que existem nos mundos além do Sistema Solar. Fico arrepiado só de pensar o que os próximos anos nos reservam. Vamos ver o que há lá fora.”

Para mais informações sobre exoplanetas, visite: http://exoplanets.nasa.gov

ONB assistiu a entrevista coletiva dos cientistas da NASA. Se quiser ver a gravação do anúncio, clique aqui.