Outubro: Agronegócio sustentável em pauta no Brasil

(Foto: Unsplash)

O agronegócio foi o destaque de outubro. Enquanto o governo federal zerou os impostos sobre 10 pesticidas importados e que juntos representam 60% dos inseticidas utilizados no país, a Assembleia Legislativa do Pará aprovou o Projeto de Lei que obriga a presença de informações sobre agrotóxicos nas embalagens de alimentos.

A Agtech Garage e Esalq divulgaram o 2º Censo Agtech Startups Brasil, que revelou o aumento no número de agrotechs entre 2016 e o primeiro semestre de 2018, crescimento que gerou mais  de 1500 postos de trabalho.

Especialistas em agricultura brasileira se reuniram para apresentar e debater as diferentes perspectivas do setor, na 2ª edição do ESALQSHOW, que aconteceu em Piracicaba (SP), e o ONB esteve presente.

No evento, a Embrapa Meio Ambiente apresentou novas ferramentas para tornar a agricultura mais sustentável e eficiente.

Em São Paulo, também aconteceu a Futurecom 2018, evento de tecnologia e telecomunicações, que trouxe novidades para otimizar os processos de produção, como um dispositivo para monitorar a atividade dos animais no pasto; um dispositivo para fazer o monitoramento e manutenção das máquinas agrícolas; e a incorporação da conectividade, da inteligência artificial e de robôs no campo para expandir a produção.

O Carrefour anunciou que o grupo pretende vender cerca de 5 bilhões de euros em produtos orgânicos no mundo até 2022. O órgão certificador de insumos orgânicos, IBD, aprovou o Silwet*ECO, o primeiro adjuvante para aplicação na agricultura orgânica do Brasil.

O governo do Rio de Janeiro elegeu Petrópolis como a capital estadual dos produtos orgânicos e com o título, os produtos do município passarão a ter um selo próprio de ausência de agrotóxicos.

Indústria automobilística

A comissão mista da Câmara dos Deputados aprovou a Medida Provisória (MP) 843/18, que cria o programa Rota 2030, nova política industrial com benefícios para o setor automotivo. A Startup Mobilis, de Santa Catarina, apresentou o “Li”, primeiro veículo elétrico 100% brasileiro e movido por baterias de íons de lítio.

Meio ambiente

Quase 3 anos após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), a Samarco e as controladoras Vale e BHP Billiton assinaram o acordo de indenização final para famílias atingidas.

Com a definição dos candidatos à presidência para o segundo turno e as declarações sobre a permanência do Brasil no Acordo de Paris, autoridades da Espanha e do Chile pediram para o próximo governo não sair do acordo internacional. A possibilidade também preocupa empresários.

A eleição de Jair Bolsonaro a presidência começou com polêmica. A sua equipe anunciou a unificação dos ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente. A notícia foi recebida com preocupação por ambientalistas, políticos, empresários, cidadãos e inclusive, ruralistas, que se posicionaram sobre o assunto nas redes sociais.