Fórmula 1 quer zerar emissões de carbono até 2030

(Foto: Divulgação)

A Fórmula 1 (F1) anunciou um plano de sustentabilidade para zerar a pegada de carbono líquida até 2030. A iniciativa incluirá os carros, as atividades na pista e todas as operações.

O plano foi desenvolvido durante 12 meses pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), especialistas em sustentabilidade, times da Fórmula 1, promotores e parceiros.

A primeira meta da categoria é tornar o evento totalmente sustentável até 2025. Isso significará o uso de materiais sustentáveis ​​em todos os eventos, com a eliminação de plásticos descartáveis ​​e todo o lixo será reutilizado, reciclado ou compostado. 

A segunda é neutralizar todas as emissões de carbono relacionadas ao campeonato até 2030, incluindo a logística, escritórios e fábricas 100% renováveis. Uma das medidas é a adoção de biocombustíveis.

Para o presidente e CEO da F1, Chase Carey, o primeiro passo para a Fórmula 1 ser sustentável foi dado em 2014, com a mudança para motores híbridos, que aumentam a potência dos carros sem elevar o consumo de combustível.

Lewis Hamilton

O piloto de F1, Lewis Hamilton, considerou o prazo dos organizadores “razoável”, mas acredita que há condições de tornar a Fórmula 1 mais sustentável em menos tempo.

Ele e sua equipe vêm conversando sobre como deixar de usar material plástico, produzir menos lixo e reduzir suas emissões de carbono.

“Por que não fazer as coisas acontecerem agora? Viajamos muito, é um circo gigante indo de corrida para corrida. Seria bom aliviar a carga de etapa para etapa. Nas pistas há muito plástico e lixo gerado durante o fim de semana. Devemos ser mais sustentáveis, utilizar produtos recicláveis. Evitarmos plástico, por exemplo”, disse.

** Com informações da F1 e do UOL