Deslizamento de lixo mata ao menos 50 pessoas na Etiópia

(Foto: Elias Meseret/ AFP Photo)

Nesta segunda-feira (13), subiu para 50 o número de mortos após o deslizamento de uma montanha de lixo em um aterro sanitário em Addis Abeba, capital da Etiópia, que aconteceu no último sábado (11).

Em entrevista a agência de notícias France Presse (AFP), testemunhas e sobreviventes contaram que um bloco de lixo se desprendeu de uma das montanhas, carregando as moradias improvisadas no aterro junto.

“Quando isso aconteceu, ouvimos um barulho alto, e quando saímos, vimos um tornado que vinha em nossa direção”, relatou Suleiman Abdullah, cujo abrigo construído com pedaços de madeira e plástico foi destruído no incidente. “Algumas pessoas nos ajudaram e minha família conseguiu sair antes da destruição”, acrescentou.

Segundo um porta-voz da prefeitura, Amare Mekonen, estima-se que o deslizamento destruiu 49 moradias e feriu outras 28 pessoas. Desde ontem, equipes de resgate usam escavadoras para retirar pilhas de lixo em busca de sobreviventes ou corpos.

A maioria das vítimas eram catadores, que vasculhavam as montanhas de lixo em busca de objetos com algum valor. Cerca de 400 pessoas vivem no aterro. Moradores afirmam que o deslizamento foi causado pelo trabalho de nivelamento de resíduos, como parte da construção de uma central de biogás, que irá funcionar no local.

As autoridades solicitaram que os catadores parassem de trabalhar no aterro por causa da operação, mas apesar das advertências, eles continuaram no local.

A Etiópia é uma das economias que crescem mais rapidamente na África, em grande parte devido a investimentos pelo governo e o incentivo a industrialização.

** Com informações da Reuters e da AFP.