Dicas de segurança digital para crianças e adolescentes

(Foto: Reprodução)

Pesquisa divulgada pela London School of Economics and Political Science (LSE) concluiu que uma em cada três crianças brasileiras já utiliza internet por meio de dispositivos móveis. O número é mais do que o dobro registrado em países europeus como Irlanda (13%), Portugal (13%) e Bélgica (11%), só ficando atrás do Reino Unido, com 47%.

Importante no desenvolvimento das crianças brasileiras, a internet representa também um desafio para os pais, que precisam proteger seus filhos das ameaças do mundo virtual. Para ajudá-los, a startup brasileira de tecnologia  PSafe  reuniu cinco dicas de segurança digital para crianças e adolescentes:

1 – Navegação 

A internet possui muito conteúdo útil, mas também conta com materiais perigosos e ofensivos. Por isso, é importante ensinar como identificá-los. Crie um espaço de conversa aberta, de modo que você possa explicar os riscos e responder dúvidas.

2 – Phishing

Alguns sites contêm códigos maliciosos que conseguem roubar dados do seu aparelho, invadindo a privacidade. Ensine sobre a importância de ter sempre a mão soluções de segurança como: antivírus e antiphishing (uso de mensagens falsas para “pescar” informações pessoais, fotos e senhas).

3 – Pedofilia

O risco sempre foi grande, mas aumentou muito a partir do momento em que as crianças mais jovens tiveram acesso aos celulares. Como não é possível controlar com quem os filhos se comunicam, é importante que sempre seja reforçada algumas das mais tradicionais regras do convívio familiar, como “não falar com estranhos” e “não dar informações pessoais”. Lembre-os que a internet facilita o anonimato, devendo-se tomar todo o cuidado com informações compartilhadas com estranhos.

4 – Envio de foto íntima

É cada vez maior o número de casos de vazamento de fotos íntimas. Para não pôr em perigo a juventude do seu filho, ensine-o sobre privacidade na internet. Lembre-o que nem tudo pode ser compartilhado online e destaque o que não deve e por quais razões.

5- Redes sociais

Tratam-se dos principais meios de comunicação das crianças e adolescentes com seus amigos. É muito importante ensinar, desde cedo, como devem ser utilizadas e os riscos contidos. Também é necessário ter atenção, pois é onde mais acontece cyberbullying, perseguição e assédio entre os jovens. As redes sociais são espaços que devem ser usados com responsabilidade, pois, uma vez publicado um conteúdo ou foto, perdemos totalmente o controle sobre ele.

É muito difícil, e até pouco recomendável, impedir que a criança tenha acesso ao mundo digital. Neste ponto, ter um canal aberto entre filhos e pais é a chave para manter uma relação sadia e incentivar a reflexão. Isso porque a criança ou adolescente precisa ter nos seus pais uma fonte segura para levar suas preocupações, dúvidas ou pedidos de conselho.