Lixo eletrônico representa risco crescente o meio ambiente e à saúde, alerta ONU

(Foto: Pixabay)

Segundo estudo “Global E-Waste Monitor 2017”, foram gerados em 2016, 44,7 milhões de toneladas métricas de resíduos eletrônicos.  Um aumento de 8% na comparação com 2014. 

Dos 44,7 milhões, apenas 20% de todo o lixo foi reciclado. A previsão é que o lixo eletrônico chegue a 52,2 milhões de toneladas métricas até 2021.

Atualmente, mais de 53,6% das residências no mundo possuem produtos eletrônicos. Neste sentido, 67 países já possuem legislações próprias para lidar com o lixo eletrônico, um aumento de 44%, em relação a 2014.

As baixas taxas de reciclagem podem ter impactos econômicos negativos. Em 2016, foi estimado que o lixo eletrônico continha depósitos de ouro, prata, cobre, paládio e outros materiais recuperáveis, cujo valor total era estimado em 55 bilhões de dólares.

** com informações da ONU