Projeto de Lei quer implantar bicicletas que geram energia elétrica em SP

(Foto: Rachel Schein/ Reprodução)

Quando estamos praticando atividades físicas, o nosso organismo gasta energia. E se, ao mesmo tempo, que você anda de bicicleta, você contribuísse na geração de energia elétrica para espaços públicos?

Esta é a ideia do Projeto de Lei (PL) nº142/ 2017, que propõe a criação do Programa Municipal Pedalando e Gerando Energia Limpa. O objetivo é promover a implantação e instalação de bicicletas ergométricas geradoras de energia elétrica nas academias ao ar-livre, existentes em praças e parques em São Paulo, além de economizar recursos públicos.

As bicicletas, a medida que são pedaladas, vão produzir energia elétrica lima que pode ser usada instantaneamente ou ser armazenada para uso posterior. A estimativa é que cada equipamento possa produzir de 50 a 500 watts por hora de uso, variando de acordo com o modelo ou fabricante. Sendo capaz de alimentar a recarga de 100 celulares, dez notebooks ou cinco TVs Led de 32 polegadas funcionando durante uma hora.

“Não há combinação melhor do que incentivar a prática de exercícios físicos e gerar energia elétrica para sua cidade ao mesmo tempo. Energia elétrica limpa, que pode gerar redução de custos para a Prefeitura, pois parece que não, mas os cidadãos pagam e caro pela iluminação pública, muitas vezes, de forma estimada. Se em escala reduzida, esses equipamentos conseguirem suprir entre 10% a 25% da energia elétrica dos pontos onde forem implantadas será um ganho inestimável”, afirma o vereador Rinaldi Digilio, autor da proposta.

Em 2015, os paulistanos pagaram R$ 313 milhões para a Prefeitura de São Paulo, por meio da Contribuição para Custeio da Iluminação Pública (Cosip), cobrada nas contas de energia elétrica para custear serviços de manutenção, ampliação e também o consumo de energia elétrica dos postes da capital paulista. Somente em gastos com energia elétrica para alimentar a iluminação pública, incluindo a de parques e praças, a Prefeitura pagou R$ 183 milhões para a AES Eletropaulo.