Retrospectiva 2019: O que aconteceu em outubro

agricultor segura cesta de produtos orgânicos
(Foto: Freepik)

Outubro foi marcado pelo avanço dos fragmentos de petróleo cru no litoral brasileiro. No início do mês, foram encontrados óleo em 132 praias de 61 municípios nordestino. No dia 29, atingiu mais de 200 áreas em todos os estados do Nordeste. Mais de mil toneladas do material foram recolhidas em cerca de 2,5 mil quilômetros.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, recebeu o “Prêmio de Exterminador do Futuro”, uma forma de protesto contra o desmatamento acelerado do país. Para os jovens, o ministro é um dos maiores responsáveis pela crise ambiental do Brasil.

Orgânicos

No Dia Nacional da Agroecologia, celebrado no dia 03 de outubro, representantes do movimento orgânico no Brasil lançaram o Instituto Brasil Orgânico, uma entidade nacional que atuará na fomentação de políticas públicas, na consolidação de informações e na formação de grupos de trabalho para estudos técnicos.

As empresas de orgânicos Korin e Fazenda da Toca receberam o Prêmio Novo Agro, premiação da Esalq-USP que reconhece o trabalho de empreendedores no agronegócio brasileiro. 

O município de Petrolina, em Pernambuco, inaugurou o primeiro Mercado Público de Alimentos Orgânicos do Nordeste. O local abriga até 28 estandes de produtores orgânicos.

A líder do movimento agroecológico no Brasil, Dra. Ana Maria Primavesi, faz 99 anos e, em sua homenagem, um site dedicado à sua história e ao seu trabalho em agricultura orgânica é lançado. 

Agrotóxicos

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, sancionou a Lei 10.628, que cria a zona livre de agrotóxicos no município. A medida pretende reduzir a dependência de agrotóxicos, contribuir para a segurança alimentar e nutricional, e fomentar a agricultura agroecológica.

Em contrapartida, o Ministério da Agricultura autorizou a liberação de mais 57 agrotóxicos, totalizando 382 produtos registrados em 2019.