Retrospectiva 2019: Relembre o que aconteceu em novembro

(Foto: João Arthur/ Projeto Tamar)

Um mês antes do início da Conferência do Clima da ONU, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, notificou oficialmente as Nações Unidas (ONU) a saída do país do Acordo de Paris. Todo o processo deverá durar um ano. O presidente Donald Trump havia anunciado que o país sairia do acordo em junho de 2017.

As manchas de óleo que atingiram 72% dos municípios nordestinos foram afetados e se espalhou para o Espírito Santo e chegou ao Rio de Janeiro

A Polícia Federal apontou o navio grego Boubolina é suspeito pelo derramamento de óleo. A petroleira grega Delta Tankers negou o envolvimento da sua embarcação com o vazamento de óleo e disse que possui dados e documentos como prova.

Desde o dia 30 de agosto, quando os primeiros fragmentos de óleo foram encontrados, 724 locais foram atingidos na Região Nordeste e no Espírito Santo. Os fragmentos também chegaram ao Rio de Janeiro.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, criou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a origem das manchas de óleo que se espalharam pelo litoral do Nordeste. A medida tem o apoio de 268 deputados.

Emergência climática

O prefeito de Recife, Geraldo Julio, assinou o decreto que reconhece a Emergência Climática no município para estabelecer diretrizes para combatê-la, durante a Conferência Brasileira de Mudança Climática (CBMC). A capital pernambucana se tornou a primeira cidade brasileira a declarar emergência climática

Representantes de estados do Nordeste assinaram, durante a Conferência Brasileira de Mudança Climática (CBMC), a Declaração do Recife, em que se comprometem a adotar medidas sustentáveis.

O documento é resultado de um esforço coletivo entre atores da sociedade brasileira para apresentar diretrizes de desenvolvimento sustentável ao poder público, as empresas e a sociedade civil.

Desenvolvimento Sustentável e orgânicos

O estado de Santa Catarina apresentaram o Programa Agroconsciente, uma nova diretriz estadual para desenvolver políticas públicas e ações voltadas para o setor agropecuário catarinense.

A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) lança o Tomatorg, sistema orgânico de produção de tomate. A expectativa é aumentar em quase três vezes o lucro do produtor orgânico em relação ao cultivo convencional.

O Governo de Mato Grosso do Sul aprovou o Plano Estadual de Agroecologia, Produção Orgânica e Extrativismo Sustentável Orgânico (PLEAPO/MS), que prevê ações, como a criação de uma rede de comercialização, a capacitação dos assistentes técnicos para orientar a produção orgânica, seja ela de baixa, média ou grande escala da agricultura familiar.