Retrospectiva 2019: Relembre os principais acontecimentos de janeiro

(Foto: Divulgação CBMMG)

O ano de 2019 começou com a posse do presidente Jair Bolsonaro, que teve o início do mandato cheio de polêmicas sobre meio ambiente.

A estrutura do Ministério do Meio Ambiente foi modificada e não incluiu áreas específicas para tratar de mudanças climáticas e do combate ao desmatamento, como a Secretaria de Mudanças do Clima e Florestas. A pasta ainda suspendeu contratos de parcerias e convênios com ONGs.

Lideranças indígenas da Amazônia protestaram contra a política indigenista desenhada pelo governo em carta aberta destinada ao presidente.

Bolsonaro participou do Fórum Econômico Mundial, na Suíça. Ao discursar, afirmou sua determinação de manter a harmonia entre o desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente e a biodiversidade.

Rompimento da barragem em Brumadinho

A barragem B1, da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), se rompeu no dia 25 de janeiro. Cerca de 14 milhões de toneladas de lama e rejeitos de minério de ferro percorreram 8 km em poucos dias, deixando 270 vítimas.

Um relatório divulgado em dezembro por especialistas contratados pela Vale confirmou que a “liquefação estática”, quando os rejeitos sofrem uma súbita e rápida perda de resistência, causou o rompimento.

Orgânicos

O Rio Grande do Sul se tornou o maior produtor de arroz orgânico da América Latina. Atualmente, o plantio de orgânicos ocupa 6 mil hectares, sendo 4.600 em assentamentos do MST, com uma produção média de 100 sacas por hectare e o custo de produção é a metade do cultivo tradicional.

O estado é responsável pela produção de 8,3 milhões de toneladas dos 11,7 milhões de toneladas de arroz produzidas no Brasil em 2018, apontam dados do IBGE. Entretanto a entidade não diferencia o orgânico do convencional.

Santa Catarina sancionou a Política Estadual de Incentivo às Feiras de Produtos Orgânicos, que prevê a organização da cadeia produtiva, a simplificação dos processos para obtenção de licenças pelos feirantes, a criação de linhas de crédito para a produção de orgânicos, apoio a comercialização e campanhas de alimentação saudável.