Sabesp poderá administrar o destino do lixo na Grande São Paulo

(Foto: Pixabay)

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) estuda ampliar sua área de atuação e começar a tratar o lixo da Grande São Paulo.

Segundo o presidente da Companhia, Jerson Kelman, o objetivo é diminuir o impacto do lixo causado nos aterros sanitários da região metropolitana e obter energia a partir da queima dos resíduos. Essa energia será usada pela própria Sabesp no tratamento de esgoto.

“Isso é uma ideia ainda incipiente. Hoje, principalmente o destino do lixo é um problema grave no país. [Com essa ideia] podemos não transportar o lixo por grandes distâncias e aproveitar um combustível que é renovável”, explicou Kelman em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

Atualmente, o transporte e o despejo do lixo são muito caros para as grandes cidades e para o meio ambiente. Por isso, a Sabesp pretende, além de reduzir a distância percorrida pelos resíduos, incinerar os resíduos ao invés de construir aterros sanitários.

Para isso, as usinas ou estações de tratamento serão dotadas de filtros atmosféricos para evitar a emissão de gases poluentes. Nos planos de Kelman, as estações também poderão ter capacidade de incinerar o logo gerado durante o tratamento de água e esgoto. Atualmente, esse rejeito é dispensado em um tipo de aterro específico.

A iniciativa acontece em um momento mais calmo da companhia, já que entre 2014 e 2015, o foco principal era “solucionar” a crise hídrica no Estado – que submeteu diversos estados a um sistema de racionamento.

** Fonte: jornal Folha de S.Paulo.