Soluções tecnológicas para agroecologia e meio ambiente são premiadas

(Foto: Fundação Banco do Brasil)

A Fundação Banco do Brasil reconheceu tecnologias desenvolvidas por organizações sociais, instituições de ensino e prefeituras com grande potencial de promover transformações sociais com 10º Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologias Sociais.

A iniciativa Mulheres Protagonistas no Beneficiamento de Produtos Agroecológicos, de Flexeiras (AL), venceu na categoria “Mulheres na Agroecologia”. Para resolver o problema do desperdício de alimentos, produtoras rurais formaram uma cooperativa e começaram a trabalhar com uma nutricionista para fazer sucos, bolos, biscoitos e técnicas de congelamento para agregar valor ao produto e aumentar a renda.

Em segundo lugar ficou a Associação Pitanga Rosa, de Chapecó (SC), que resgata e preserva, a partir de trabalho voluntário e coletivo, as sementes e mudas crioulas, para cultivo e processamento de plantas medicinais. Além de alertar para a importância da alimentação saudável e da produção livre de agrotóxico.

O Programa Educacional de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável (PEADS) desenvolvido pelo Serviço de Tecnologia Alternativa, em Ibimirim (PE), ficou em terceiro lugar. A iniciativa estimula o estudante do campo a valorizar sua identidade, o trabalho da sua família e a transição para a produção agroecológica.

Na categoria “Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico”, o projeto “O Algodão Agroecológico Gerando Renda e Conhecimento no Curimataú Paraibano“, da Associação de Apoio a Políticas de Melhoria da Qualidade de Vida, Meio Ambiente e Verticalização da Produção Familiar, em Remígio (PB), venceu. 

As iniciativas “Algodão Agroecológico no Fortalecimento da Agricultura Familiar e Associativismo“, da Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá (CE) e “A trama do algodão que transforma“, da Cooperativa Central Justa Trama (RS) ficaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

O projeto “Reuso de resíduos vítreos de aterros sanitários: meio ambiente e renda” da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Campus Toledo (PR) venceu na categoria Meio Ambiente, pela sua atuação no reúso de resíduos de vidro encontrados em aterros sanitários.

Seguido pelos projetos “Plantando Águas” – do The Green Initiative (SP), para proteger os recursos hídricos na zona rural, integra o saneamento básico, a recuperação florestal e a educação ambiental. 

E o Sistema Miyawaki de restauração de ecossistemas na Amazônia, do Instituto Amigos da Floresta Amazônica (PA), que busca aproximar a sociedade e sensibilizar sobre a importância das florestas, da preservação e do desenvolvimento do ecossistema.

A lista completa dos vencedores do 10º Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologias Sociais pode ser acessada aqui.