VOLKSWAGEN ENVOLVIDA EM TRAPAÇA AMBIENTAL NOS ESTADOS UNIDOS

Teve até pedido de desculpas do sr.Martin Winterkorn, presidente-executivo da Volkswagen. Ele admitiu em público: “violamos a confiança dos nossos compradores e do público” As ações da Volkswagen chegaram a  desvalorizar 22,8% na maior queda diária já registrada, o que reflete a seriedade da acusação: enganar propositalmente a Agência de Proteção Ambiental (EPA) norte-americana ao usar software que fazia com que os motores diesel de carros como o Golf e o Jetta parecessem menos prejudiciais ao meio ambiente do que de fato são.

A Volks nos EUA não só enfrenta indenizações que podem ser milionárias, como tem a possibilidade de sofrer indiciamentos criminais. Winterkorn, que anunciou uma investigação interna e prometeu que não toleraria “qualquer tipo de violação da lei ou das regras internas”, é o mais alto executivo da Volkswagen a sofrer pressão.

As provas contra a Volkswagen, combinadas ao fato de que a companhia já pediu desculpas, são muito sérias. Em sua queixa oficial, a EPA detalha como “um sofisticado algoritmo de software” foi usado para alterar os níveis de emissões dos veículos.Trata-se de um dispositivo que eleva as emissões de determinados poluentes, no caso o óxido de nitrogênio, quando o carro está em uso na rua, e as reduz durante os testes oficiais de poluição. Existe a possibilidade de que se argumente que não se violou a lei intencionalmente.

Hyundai e Kia já pagaram multa de US$ 100 milhões nos Estados Unidos, como parte de um pacote indenizatório de US$ 300 milhões por anunciarem economia de combustível maior que a real em seus veículos, e a Ford por duas vezes teve de reduzir as estimativas de quilometragem por litro de alguns de seus modelos. A Volkswagen há muito luta por conquistar nos Estados Unidos o mesmo espaço que tem na Europa e Ásia. Construiu uma fábrica de US$ 1 bilhão no Tennessee e prometeu investir bilhões de dólares adicionais em expansão, mas a despeito de seu sucesso com o Fusca nos anos 60, continua atrás das montadoras japonesas e asiáticas.

 

saiba mais
http://app.folha.uol.com.br/#noticia/597872