Volume de chuvas em São Paulo é o maior nos últimos 37 anos

(Foto: Corpo de Bombeiros de São Paulo)

Após tragedia das chuvas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Espírito Santo, São Paulo teve uma segunda-feira caótica. O forte temporal que atingiu a capital paulista alcançou 114 milímetros (mm) de precipitação, a pior chuva para um mês de fevereiro desde 1983, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). 

O nível da água atingiu 100 milímetros em três horas, o que causou o transbordamento do Rio Tietê. 

Desde o início de fevereiro, choveu 208 mm na cidade inteira, o equivalente a 96% do esperado para todo o mês, que é de 216,7 mm, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo.

A chuva causou alagamentos, deslizamentos e congestionamentos em diversos pontos da cidade. Segundo o Corpo de Bombeiros, foram registrados 932 ocorrências de enchentes, 166 de desabamentos ou desmoronamentos e 182 quedas de árvores. 

Toda a cidade de São Paulo está em estado de atenção para alagamentos desde a 1h. A Prefeitura de São Paulo informou que estão em estado de alerta a Subprefeitura Jaçanã/Tremembé, as Marginais de Pinheiros e do Tietê, e a Ponte do Piqueri, no sentido Castelo Branco Ayrton Senna. 

A Prefeitura de Carapicuíba declarou estado de emergência e a Prefeitura de Osasco decretou estado de calamidade após o município alcançar o maior índice pluviométricos dos últimos sete anos.