Bancos pressionam e propõem 10 medidas para a Amazônia

(Foto: Reprodução/ Greenpeace)

Os três maiores bancos privados do País – Bradesco, Itaú e Santander – lançaram um plano conjunto para promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia com dez medidas, entre elas: o estímulo às cadeias sustentáveis na região por meio de linhas de financiamento diferenciadas e ferramentas financeiras e não financeiras e a viabilização de investimentos em infraestrutura básica para o desenvolvimento social e ambiental.

O plano dos três bancos inclui o fomento de um mercado de ativos e instrumentos financeiros de lastro “verde”, a atração de investimentos e promoção de parcerias para o desenvolvimento de tecnologias que impulsionem a bioeconomia e apoio para atores e lideranças locais que trabalhem em projetos de desenvolvimento socioeconômico na região.

O vice-presidente Hamilton Mourão passa esta quinta-feira (23 de julho), em São Paulo, discutindo a proposta com o presidente do Santander.

As dez medidas são:

– Atuar pelo desmatamento zero no setor de carnes
– Estimular monoculturas sustentáveis
– Estimular o desenvolvimento da infraestrutura de transporte da região com metas ambientais
– Viabilizar investimentos em infraestrutura básica
– Fomentar projetos que visem o desenvolvimento econômico e a conservação por meio de ativos como os CBIOs e os créditos de carbono
– Incorporar impactos das mudanças climáticas nas políticas de crédito e investimento de longo prazo
– Ampliar o alcance de negócios que promovam a inclusão e orientação financeira na região
– Articular e apoiar a implantação do sistema informatizado de registro de regularização fundiária
– Articular a criação de um fundo para atores e lideranças locais que trabalhem em projetos de desenvolvimento socioeconômico na região
– Atrair investimentos que promovam parcerias e o desenvolvimento de tecnologias que impulsionem a bioeconomia

Na semana passada. fundos de investimento internacional divulgaram carta aberta a embaixadas brasileiras, em oito países, manifestando preocupação com o aumento do desmatamento no Brasil.