Setor orgânico dos EUA vendeu mais de US$ 40 bilhões em 2016

(Foto: Pixabay)

O setor orgânico dos Estados Unidos (EUA) faturou mais de US$ 40 bilhões em 2016, batendo recorde de venda. É o que revelou a nova pesquisa da Organic Trade Association (OTA), divulgada nesta quarta-feira (24).

Segundo a associação, as vendas orgânicas totalizaram cerca de US$ 47 bilhões em 2016, um aumento de US$ 3,7 bilhões, em relação ao ano anterior. Esta é a primeira vez que o mercado orgânico dos Estados Unidos ultrapassa US$ 40 bilhões.

Em relação às vendas de alimentos orgânicos, houve um crescimento de US$ 3,3 bilhões (8,4%), após a estagnação do mercado em 2015. Com isso, os orgânicos passam a representar 5,3% das vendas de alimentos no país.

As frutas e verduras orgânicas continuam sendo a principal categoria do setor, representando quase 40% de todas as vendas de segmento, com faturamento de US$ 15,6 bilhões no ano passado. Com uma taxa de crescimento de 8,4%, a categoria FLV orgânica compõe cerca de 15% do consumo americano.

Houve também um crescimento de 17% no consumo de produtos abundantes em proteínas, carnes e aves orgânicas, arrecadando US$ 991 milhões. A expectativa é que a expansão da categoria empurre as vendas para US$ 1 bilhão, pela primeira vez, em 2017.

Outros produtos orgânicos também registraram um aumento de 8,8% em 2016, o equivalente a US$ 3,9 bilhões. A tendência é que os consumidores não fiquem restritos em alimentos orgânicos e invistam cada vez mais em produtos do segmento.

(Foto: Reprodução/ OTA)

Fibras orgânicas, suplementos e produtos de cuidados pessoais representaram a maior parte dessas vendas. Apesar de ser um desafio contínuo, os produtores de algodão orgânico dos EUA produziram mais de 17 mil fardos em 2016.

“Produtos orgânicos de todos os tipos são agora encontrados na maioria das cozinhas e casas em todo o nosso país. Mas o setor orgânico está enfrentando desafios para continuar seu crescimento. Precisamos de mais agricultores orgânicos para atender a nossa crescente demanda orgânica e o setor orgânico precisa ter as ferramentas necessárias para crescer e competir em condições de igualdade. Isso significa programas federais, estaduais e locais que ajudam a apoiar a pesquisa orgânica e fornecem ao agricultor orgânico um kit de ferramentas totalmente equipado para serem bem sucedidos”, afirma Laura Batcha, CEO e diretora executiva da Organic Trade.

De acordo com o estudo, o principal incentivo para o consumo de produtos orgânicos no geral é o valor agregado da frescura dos ingredientes, estimulando a ideia de solo limpo e saudável.

“Tocamos a fruta ou o vegetal, o cheiro, e fazemos imediatamente essa conexão entre essa cenoura, por exemplo, crescendo em solos limpos e saudáveis ​​e colocando isto em nossos corpos. Em todas as categorias de alimentos orgânicos, os compradores estão colocando alto valor na frescura e conveniência”, afirma a OTA.

A pesquisa também constatou que o setor orgânico está criando empregos. Mais de 60% das empresas com mais de cinco empregados contrataram mais funcionários em período integral e estão planejando crescer mais em 2017.

“Os agricultores orgânicos não estão apenas permanecendo no negócio, eles estão freqüentemente se expandindo. Manejo orgânico, fabricação e instalações de processamento estão sendo abertos, ampliados e reequipados. Fazendas orgânicas, fornecedores e manipuladores estão criando empregos em todo o país, e o setor orgânico está crescendo e criando os tipos de produtos saudáveis ​​e ecológicos que os consumidores estão exigindo cada vez mais”, disse Batcha.

A pesquisa da Organic Trade Association está disponível em https://ota.com/resources/organic-industry-survey

** Com informações da Organic Trade Association