Mato Grosso do Sul lança Programa Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica

lançamento Programa Estadual de Agroecologia, Produção Orgânica e Extrativismo Sustentável Orgânico
(Foto: Divulgação Governo do Mato Grosso do Sul)

O Governo do Mato Grosso do Sul lançou, nesta terça-feira (23), o Programa Estadual de Agroecologia, Produção Orgânica e Extrativismo Sustentável Orgânico, o Pró-Orgânico, para desenvolver as cadeias produtivas agroecológicas e orgânicas, e estimular o desenvolvimento rural sustentável.

O programa estadual é um complemento a Lei nº 5.279, que instituiu a Política Estadual de Agroecologia, Produção Orgânica e de Extrativismo em 2018, e terá vigência de 2020 a 2030, com a apresentação de revisões e atualizações com periodicidade de quatro anos.

O Pró-Orgânico pretende capacitar profissionais e disponibilizar assistência técnica especializada em Agroecologia, Produção Orgânica e Extrativismo Sustentável; fomentar a produção agroecológica, orgânica e extrativista; fortalecer e estimular a organização de grupos de produtores; fortalecer e ampliar canais e redes de comercialização; fortalecer e ampliar a geração e socialização do conhecimento agroecológico.

Pretende ainda diversificar a produção agrícola, promover o uso de recursos naturais com manejo ecologicamente sustentável, incentivar a população rural e a sucessão das propriedades por meio de políticas públicas integradas, e apoiar a geração e o uso de energias renováveis no meio rural.

As metas criadas pelo programa incluem: a certificação de 250 produtores em produção orgânica, aumentar em 20% o número de projetos elaborados de Agroecologia e Produção Orgânica, aumentar o acesso a linhas de crédito e organizar e facilitar o acesso a insumos.

“Pensamos em fazer um programa que pudesse ser executado. Acreditamos que esse projeto vai ter um grande impacto. Hoje, temos apenas 84 produtores e com isso, vamos ter 250 unidades de produção”, explicou Francimar Perez, Gestora de Desenvolvimento Rural e coordenadora do plano.

Hoje, o Brasil tem 21.389 unidades de produção cadastradas no Ministério da Agricultura, sendo 725 no Centro-Oeste. Apenas 84 estão no Mato Grosso do Sul, sendo 70 unidades destinadas a produção vegetal, 10 para produção animal e quatro para processamento de origem animal.

No estado, são produzidas carne bovina e derivados, ovos, mel, hortaliças folhosas, tuberosas e legumes, frutíferas (maracujá, limão, banana, citrus) e grãos (soja) orgânicos.

“O nosso objetivo é aumentar este número com o Plano. É inserir mais produtores, permitir melhor renda ao produtor e atingir novos mercados: local, nacional e alguns nichos de produtos processados no mercado internacional. Tem espaço nos produtos orgânicos nas suas diferentes fases de industrialização”, disse o secretário Jaime Verruck.

Para o superintendente da Suprafa/Semagro, Rogério Beretta, a produção sustentável cresce no país porque o produtor deixou de ver o orgânico como um “modismo” e uma “oportunidade de ter ganho”, para ter uma produção  solidificada e baseada  na sustentabilidade.

Clique aqui para ler o plano completo