Brasil lidera na redução de emissões de gases de efeitos estufa no G20

emissão de gases de efeito estufa, carbono
(Foto: Pixabay)

O Brasil é um dos países que emitem menos gases de efeito estufa (GEE) per capita e tem o maior índice de energia limpa entre as nações do G20, segundo o relatório Brown to Green divulgado pela Climate Transparency ontem (03).

O documento apresenta uma análise da performance de transição dos países do G20 para uma economia de baixas emissões, quanto às suas reduções de emissão, políticas públicas climáticas, financiamento e descarbonização.

De acordo com a análise, o Brasil apresentou uma perfomance mediana em reduzir o desmatamento, ações para atingir sua meta de emissões para 2050 e em melhorar a eficiência energética, na indústria e nas construções residenciais. Porém em relação ao uso de energia renováveis, a quota no segmento do país é um dos mais altos do G20.

A recessão econômica e a instabilidade política contribuíram para o declínio acentuado na demanda de energia, porém o fim do financiamento de termelétricas a óleo e a carvão foi avaliado como uma boa medida para investimentos futuros.

Para especialistas brasileiros, apesar da evolução nas políticas brasileiras para o setor energético, o país ainda precisa de metas mais ambiciosas no segmento, como um plano para eliminar subsídios de combustíveis fósseis.

“O Brasil é um dos poucos países em desenvolvimento que estabeleceu um limite absoluto de emissões e mostrou um forte compromisso de combate à mudança climática. Nosso desafio agora é parar o desmatamento e reduzir ainda mais as emissões. Precisamos, no entanto, de um compromisso dos países industrializados quanto a intensificar o financiamento à ação climática e quanto a fortalecer seus próprios compromissos”, explicou o especialista brasileiro William Wills, do CentroClima da COPPE/UFRJ.

Segundo o relatório, entre 1990 e 2014, as emissões de gases de efeito de estufa dos países do G20 cresceram 34%. Embora as emissões de GEE per capita pararam de crescer na metade dos países nos últimos anos, a intensidade de carbono no fornecimento total de energia primária está aumentando pelo uso de energia com carvão.

Para ler o relatório completo, acesse: http://www.climate-transparency.org/g20-climate-performance/g20report2017