Brasil não assina acordo internacional de combate ao plástico

(Foto: Freepik)

O Brasil não assinou um acordo internacional proposto pela ONU, durante evento em Genebra, para ajudar a reduzir a poluição plástica.

A proposta “Planeta Limpo, Pessoas Saudáveis: Boa Gestão de Produtos Químicos e Resíduos” também não recebeu a aprovação de outros seis países, incluindo os Estados Unidos e a Argentina, e prevê o fomento de pesquisas para descobrir alternativas ao plástico e fazer estudos científicos para ampliar a reciclagem.

O acordo foi formado após a Noruega, a União Europeia e a China apresentarem propostas que tornam os resíduos de plástico em um material que requer consideração especial para ser comercializado entre países.

Ao entrar em vigor, a maioria das misturas de resíduos de plásticos contaminados devem ter o consentimento prévio dos países receptores antes de serem comercializados, com exceção do polietileno (PE), polipropileno (PP) e polietileno tereftalato (PET).

Estima-se que cerca de oito milhões de toneladas de resíduos de plástico mal geridos chegam aos oceanos todos os anos. Segundo dados da ONU, cerca de 100 milhões de toneladas de plástico já estão nos oceanos.

** Com informações do WWF-Brasil